sexta-feira, 30 de abril de 2010

Anvisa lança selo contra a falsificação de medicamentos

Ainda neste ano, as raspadinhas com o logotipo do fabricante presentes nas embalagens de medicamentos deverão ser substituídas por um selo que atestaria a autenticidade do produto. A determinação é da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).


De acordo com o presidente da agência, Dirceu Raposo de Mello, todas as farmácias e drogarias teriam um equipamento para checar se o selo é verdadeiro ou não. A agência já encomendou os primeiros estudos sobre o produto à Casa da Moeda, mas não descarta o uso de outras tecnologias.
Uma das possibilidades é a identificação por radiofrequência, por meio de uma espécie de chip, na embalagem, que armazena dados. Trata-se da mesma tecnologia utilizada na etiqueta de algumas roupas, que apitam se o cliente sai da loja sem pagar. A decisão final sairá nas próximas semanas.

Fora da lei
No ano passado, foram apreendidas 333 toneladas de medicamentos irregulares. Nenhum deles havia passado pelos controles de qualidade da indústria ou da Anvisa.
De acordo com Adilson Bezerra, chefe de segurança institucional da agência, cerca de 95% do que foi apreendido se refere a produtos sem registro no Brasil. Eles eram vendidos como promessas para a cura de diversas doenças, do câncer à Aids. A maioria foi encontrada sendo comercializada em farmácias e drogarias.
Entre os falsificados, os mais encontrados são anabolizantes, medicamentos para disfunção erétil e para o tratamento de câncer.
Para combater o problema, uma lei no ano passado determinou que todo medicamento deve ter um mecanismo que permita ao poder público rastrear a sua origem.

Consumidor atento
Com o mesmo objetivo, a Anvisa lançou ontem uma campanha com o objetivo de orientar o consumidor a identificar um medicamento falsificado.
Deve-se prestar atenção para ver se a embalagem tem lacre, número do lote, data de validade, registro no Ministério da Saúde, número do serviço de atendimento ao consumidor e a raspadinha -que será substituída ainda neste ano.
Na dúvida, se o preço do remédio estiver muito abaixo do mercado, a orientação para o consumidor é ligar para o SAC da empresa fabricante e checar se o lote informado na embalagem realmente existe e confere com a data de validade impressa na caixa.

Fonte: Folha de S.Paulo

Atenção nas aplicações de anticoncepcionais

Um dos anticoncepcionais injetáveis mais usados atualmente tem em sua fórmula dois hormônios: acetato de noretisterona e valerato de estradiol.
Por ser uma solução oleosa, esta injeção tem a vantagem de proporcionar melhor regularidade na absorção e, consequentemente a manutenção dos níveis séricos
destes fármacos.
A posologia consiste na aplicação de uma ampola mensal, sempre em dia fixo no mês. O início de seu uso (a primeira injeção) deve ocorrer no primeiro dia do ciclo menstrual (primeiro dia da menstruação), seguindo a prescrição médica.
Como qualquer medicamento, este contraceptivo tem indicações, contraindicações
e a possibilidade da ocorrência de reações adversas.
Estes fatores só podem ser adequadamente avaliados em consulta médica. Portanto, a aplicação só deve ser feita mediante a apresentação da prescrição médica.

Eficácia
A técnica de aplicação é uma variável muito importante na manutenção da eficácia deste anticoncepcional, por isto, algumas orientações devem ser sempre seguidas:
􀀻 A aplicação é por via intramuscular profunda utilizando-se a técnica de trilha em “Z”, preferencialmente na nádega.
􀀻 É importante cobrir o local da aplicação para evitar refluxo. Por questões
de higiene não devemos usar esparadrapo e sim um curativo pronto oclusivo ou material próprio.
􀀻 Deve-se ter o cuidado de não massagear ou fazer compressas no local,pois isso pode alterar a absorção do medicamento.

Refluxo
Sabe-se que o refluxo pode acontecer após a aplicação de qualquer solução oleosa. A prática correta e consistente da aplicação da técnica de trilha em “Z” reduz a praticamente zero a ocorrência deste problema..
Se houver refluxo da solução injetada, não se deve jamais aplicar uma nova ampola ou parte dela, pois não é possível identificar a quantidade de fármaco perdida. Caso isso ocorra, o profissional de farmácia deve informar à paciente que omedicamento refluiu e orientá-la a utilizar preservativos como método contraceptivo adicional de barreira, até a aplicação da próxima injeção, seguindo o ciclo menstrual.
É importante ter atenção nos casos de clientes que vestem roupas apertadas,
como é bastante comum entre as adolescentes.
Ao vestir uma roupa muito justa após a aplicação, se não foi praticada adequadamente a técnica de trilha em Z, poderá haver refluxo. Portanto, é preciso orientar as clientes nesses cuidados quando da próxima aplicação.

Reflexo vagal
Algumas pessoas mais sensíveis podem apresentar o chamado reflexo vagal, o
qual pode ocorrer com qualquer injeção e principalmente com as soluções oleosas.
O reflexo consta de mal estar após a aplicação, podendo chegar a desmaio.
Para prevenir ou minimizar essa ocorrência, é indicado fazer a aplicação com
a paciente deitada. Se isso não for possível, pelo menos ela deve permanecer
recostada em uma cadeira.
A aplicação deve ser feita de forma extremamente lenta e, após o procedimento, a paciente deve sentar-se e ficar em observação por alguns minutos.

Caso você necessite de mais informações sobre aplicações de contraceptivos injetáveis,ligue para 0800 702 1241 ou acesse o site
www.bayerscheringpharma.com.br
ou então envie e-mail para
sac@bayerhealthcare.com

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Aprenda a diferenciar a dor de cabeça da enxaqueca

Pesquisa mostra que mulheres sofrem mais com esses problemas.
Abuso de analgésicos pode tornar as dores mais fortes.

Uma pesquisa feita em Belo Horizonte com quase 1,7 mil pessoas revelou que as mulheres sofrem mais com dor de cabela e enxaquecas.
No trabalho, também são as funcionárias as mais prejudicadas. Em uma das empresas analisadas pela pesquisa, 43% dos homens disseram ter dores brandas, enquanto 72% das mulheres se queixaram de dor de cabeça várias vezes por semana e com muita intensidade. Culpa dos hormônios, dizem os especialistas.
Em outra empresa, 73% dos funcionários que participaram da pesquisa declararam ter tido dor de cabeça no horário de trabalho no último ano. Dezesseis por cento disseram que a dor foi tão forte que houve dificuldade de executar tarefas como ler um relatório na tela do computador.
A gente tem menos capacidade de concentração ou então de entender. Às vezes eu estou ouvindo uma palestra, estou assistindo um negócio e a cabeça está lá incomodando. Não sei se afeta a memória”, conta Ana Maria Uflacker, desenhista.
Enxaqueca?
A neurologista Vanessa Caíres ensina as funcionárias a identificar o tipo de dor.

“Se você tem uma dor de cabeça de um lado só, que lateja, que a luz incomoda, que o barulho incomoda, desconfie. Isto pode ser uma enxaqueca. Se você tem uma dor de cabeça dos dois lados que é um peso, que é uma desconforto que não relacionado muito a luz que não está relacionado ao barulho é uma cefaleia tensional, ou seja uma dor provocada por acúmulo de tensão”, diz, neurologista.

A médica explica que os analgésicos devem ser tomados com parcimônia. “Fez uso mais que duas vezes na semana é abuso de analgésico. Você passa a ter dor de cabeça mais vezes, uma dor de cabeça mais forte e uma dor de cabeça que não responde mais aos medicamentos como respondia antes”, explica a neurologista.

Veja, no vídeo acima, como curar a dor de cabeça. As dicas são do neurologista Ariovaldo Silva Júnior, presidente da Sociedade Mineira de Cefaleia.

Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/04/medica-ensina-diferenciar-dor-de-cabeca-da-enxaqueca.html

Alta demanda acaba com estoque de Vacinas em Cascavel-PR

Unidades de saúde dos bairros mais populosos são os mais afetados

Em Cascavel, a 498 km de Curitiba, mais de 108 mil doses já foram aplicadas das 123 mil que o município recebeu. Devido à procura, algumas unidades básicas de saúde ficaram sem estoque, principalmente em bairros mais populosos.

Segundo a prefeitura, o estoque que ainda resta está sendo distribuído aos poucos. O pedido de mais 50 mil já foi repassado, mas a secretaria municipal de saúde não soube informar quando isso vai acontecer.

Veja:

Outros genéricos à vista

Até 2011, 17 medicamentos devem chegar ao mercado como genéricos

O fim da patente do Viagra, confirmada ontem, 28 de abril, é apenas uma das comemorações da indústria de remédios genéricos. Até 2011, outros 17 medicamentos devem chegar ao mercado com preço mais acessível à população, com o encerramento da exclusividade de comercialização dos fabricantes. O próximo da lista também é de propriedade exclusiva da Pfizer. Trata-se do Líptor, usado no tratamento de colesterol alto, que teve o fim da patente, previsto inicialmente para agosto do ano passado, estendido até o final deste ano. Somente uma caixa do remédio com 30 comprimidos de 40mg sai por cerca de R$ 200. Desde 1996, a Lei de Propriedade Industrial permitiu que patentes expedidas no exterior fossem reconhecidas no Brasil e hoje são conhecidas como "pipeline". A validade desse tipo de patente só é reconhecida até o prazo no qual ela expirar no país de origem e tem duração máxima de 20 anos no Pais. No julgamento da patente do Viagra, o relator do processo no STJ, ministro João Otávio de Noronha, concluiu que a legislação brasileira determina que a proteção dos produtos patenteados pelo sistema pipeline seja calculada pelo tempo remanescente da patente original, a contar do primeiro depósito no exterior.

Fonte: Estado de Minas - MG

terça-feira, 27 de abril de 2010

Veja como lidar com o tremor nas pálpebras

Problema é causado principalmente por estresse e cansaço

O tremor involuntários das pálpebras dos olhos, conhecido como blefarospasmo, pode ser um sintoma de doenças neurológicas graves, como mal de Parkinson. Mas o mais comum é que o problema seja resultado de estresse e do cansaço provocado por atividades como leitura e uso do computador por tempo prolongado.

Veja no vídeo como tratar a questão:


Fonte: R7.com

Como funciona o doping

Como funciona o doping - Parte 1



Como funciona o doping - Parte 2

Doping Globo News

Doping Globo News 1a parte



Doping Globo News 2a parte

Anvisa libera creatina e cafeína para atletas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso da creatina e da cafeína como suplemento alimentar para atletas. A medida integra uma resolução aprovada na Anvisa, com novas regras para alimentos usados por esportistas. Além da liberação desses dois produtos, a resolução passa a considerar barras de proteínas, repositores energéticos e outros suplementos apenas como alimentos para atletas. Com a mudança, rótulos terão de ser alterados para apresentar a frase de advertência: "Esse produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico." Empresas terão 18 meses para se adaptar à nova regulamentação.
A resolução é estudada pela Agência há mais de um ano. A nova classificação para barras de proteínas e bebidas isotônicas pretende evitar o consumo desnecessário deste tipo de produto, cujas vendas vêm aumentando de forma significativa no País. "Havia uma banalização, um apelo comercial para uso desses complementos", avaliou a diretora da Anvisa, Maria Cecília Brito. "Queremos trabalhar contra isso e mostrar que quem faz exercícios três vezes por semana não precisa disso. Uma alimentação balanceada é o suficiente."
O que muda na venda de bebidas isotônicas e barras de proteínas é apenas a apresentação, com rótulo de advertência. "Não temos como fiscalizar o uso de alimentos. Fazemos advertências, o restante fica por conta do consumidor", observou a gerente de alimentos da Anvisa, Denise Resende.
Embora usados por frequentadores de academias e esportistas, a venda de creatina e de cafeína como suplemento alimentar não era permitida no País. Tanto cafeína quanto creatina estavam registradas na Anvisa apenas para uso em medicamentos. A inclusão foi feita depois de um apelo de fabricantes e da apresentação de estudos que comprovam a segurança e a eficácia dos produtos.
A cafeína ajuda a retardar a sensação de fadiga muscular. A creatina é considerada como fonte extra de energia, que facilita a contração e a rápida recuperação de músculos. "Mas eles somente devem ser usados com indicação de médico ou de nutricionista", afirmou Maria Cecília.
Nessa nova classificação, aminoácidos de cadeia ramificada deixam de ser considerados como produtos para atletas. De acordo com a Anvisa, não foram apresentados trabalhos que comprovassem o efeito prometido, que era de fornecimento de energia. Agora classificados como alimentos para atletas, tanto cafeína quanto creatina podem provocar problemas à saúde quando usados em excesso.
"Eles são úteis para esportistas que precisam de grandes rendimentos. Mas têm de ser usados com orientação", diz a gerente. O acúmulo desses produtos pode provocar problemas renais, problemas no fígado e aumento de peso. No rótulo da creatina, é preciso incluir ainda a advertência de que o consumo não deve exceder três gramas diárias. E que o produto não deve ser usado por crianças, gestantes, idosos e portadores de doenças. No caso da cafeína, o rótulo deve advertir que o produto não deve ser consumido por idoso, gestantes, crianças e portadores de enfermidades."

Fonte: G1.com

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Médicos desprezam os efeitos colaterais de antidepressivos

Em estudo feito nos EUA com 300 pessoas que sofriam de depressão, psiquiatras subestimaram queixas dos pacientes

Sintomas causados por drogas têm impacto na qualidade de vida e, muitas vezes, provocam o abandono do tratamento
Ganho de peso, tremor, diminuição da libido, insônia. Uma parcela das pessoas que tomam antidepressivos enfrenta esses e outros efeitos colaterais.
São sintomas que têm grande impacto na qualidade de vida e que explicam, muitas vezes, o abandono do tratamento. Apesar disso, psiquiatras e outros médicos que prescrevem essas drogas negligenciam a questão.
É o que indica uma pesquisa a ser publicada no "Journal of Clinical Psychiatry". As queixas dos 300 voluntários sobre os efeitos colaterais dos remédios foram 20 vezes mais frequentes do que as observadas por seus psiquiatras.
Os pacientes anotaram, em uma lista de 31 efeitos colaterais, a frequência com que os sentiam e o grau de incômodo que representavam. Depois, os pesquisadores checaram, nas fichas médicas deles, os dados de efeitos colaterais anotados pelo médico de cada paciente.
Mesmo quando os pacientes descreveram os efeitos como frequentes ou muito incômodos, os médicos os registraram com uma frequência duas a três vezes menor nas fichas.
Zimmerman diz que estudos sobre essas drogas, patrocinados pela própria indústria farmacêutica, devem estar subestimando seus efeitos negativos.
Para Ana Luíza Camargo, coordenadora do núcleo de medicina psicossomática e psiquiatria do hospital Albert Einstein, as queixas do paciente nem sempre são ouvidas. "No afã de tratar, é possível que passem despercebidas."
Renério Fráguas, coordenador da residência do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, considera o alerta importante para psiquiatras, mas, principalmente, para não especialistas. "Eles tratam um porcentual significativo de pacientes com depressão, mas, como cuidam de outros aspectos, falta tempo para olharem mais para isso."
Fráguas diz que muitos sintomas não são causados pelo remédio, mas pela depressão. A opinião é semelhante à de Miguel Roberto Jorge, professor-associado de psiquiatria da Unifesp. "Muitos pacientes têm queixas múltiplas", diz.
Segundo Jorge, os diferentes antidepressivos têm eficácia muito parecida, daí a importância dos efeitos colaterais na escolha do remédio. "Estamos tão preocupados em saber se houve redução dos sintomas como em saber se apareceram efeitos colaterais", acredita.
Efeitos colaterais estão entre os principais motivos que levam a pessoa a interromper a medicação. "Acontece com frequência, o que é uma pena, porque poderíamos esclarecer se o problema vai continuar, se representa perigo ou, se for o caso, trocar o remédio", diz Jorge. Para ele, a maioria desses efeitos não ameaça a saúde, mas os pacientes não sabem disso.
Segundo Fráguas, se a depressão está sendo tratada pela primeira vez, a tendência é trocar o remédio que dá muitos efeitos. Mas, se a pessoa já se tratou antes ou apresenta um quadro grave, o indicado é tentar subir a dose aos poucos, para minimizar efeitos colaterais.
Para Camargo, do Einstein, se a queixa é comprovada e causa muito desconforto, pode ser hora de partir para outra droga. Mas ela crê que há casos em que é preciso tolerar algum efeito colateral. "Com uma conversa, pode ser administrável."

Fonte: Folha de S.Paulo
Notícia publicada em: 26/04/2010

Pressão alta é desconhecida por metade dos hipertensos

Hoje é comemorado o Dia Nacional da Prevenção e Combate à Pressão Arterial

A hipertensão é facilmente identificada por especialistas. Porém, por não apresentar sintomas, sua presença é desconhecida por metade dos doentes. Muitos pacientes são diagnosticados somente após um infarto do miocárdio ou um acidente vascular cerebral (AVC). Doença crônica apontada pelos profissionais de saúde como a de maior incidência nos atendimentos em 2008, a hipertensão arterial ocorre quando a pressão feita pelo sangue na parede das artérias é muito forte. Para prevenir que mais pessoas doentes desconheçam a enfermidade, hoje, 26 de abril, é comemorado o Dia Nacional da Prevenção e Combate à Pressão Arterial. O controle clínico regular garante o diagnóstico. Basta ir anualmente a um médico, seja ele clínico geral ou especialista, para ser diagnosticado. O profissional de saúde se certificará se a pressão do paciente está dentro dos limites considerados normais, menor ou igual a 12 por 8.

As pessoas com maior propensão a serem hipertensas e que, portanto, devem estar mais atentas, são aquelas que têm familiares com a doença, diabéticos, com excesso de peso, consomem bebida alcoólica com frequência ou em excesso, ingerem alimentos com muito sal ou não têm uma alimentação saudável (produtos industrializados).

Fonte: Guia da farmacia

domingo, 25 de abril de 2010

Proposta fixa salário mínimo dos médicos em R$ 7 mil

Diógenes Santos Ribamar Alves acredita que a medida reduzirá a prática de trabalhar em vários hospitais para aumentar o salário. O Projeto de Lei 3734/08, do deputado Ribamar Alves (PSB-MA), fixa o salário mínimo dos médicos em R$ 7 mil mensais e define o valor da hora trabalhada em R$ 31,81. A proposta altera a Lei 3.999/61, que atualmente determina que o salário mínimo dos médicos será um valor três vezes maior que o salário mínimo das regiões ou sub-regiões em que exercerem a profissão. A lei atual não faz referência ao valor da hora trabalhada pelo médico.
A proposta define ainda que o salário dos médicos será reajustado anualmente pelo mesmo índice de correção do salário mínimo, simplificando a Lei 3.999/61, que prevê reajuste salarial dos médicos com base em cálculo a partir do menor e do maior salário mínimo em vigor no País. A norma está desatualizada, pois hoje o salário mínimo é unificado.
Ribamar Alves argumenta que, para atender adequadamente um paciente, o médico necessita ter uma boa qualidade de vida, até para evitar que ele leve seus problemas pessoais para o trabalho. O parlamentar acredita que uma melhora na remuneração dos médicos reduzirá a prática de trabalhar em vários hospitais para aumentar o orçamento. "Essa forma de trabalho acaba esgotando o médico e reflete-se no tratamento dos pacientes, não podendo o médico estudar para se atualizar e oferecer um bom atendimento."

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas Comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:- PL-3734/2008Notícias anteriores:Salário de médico do SUS pode ficar isento de IR


Fonte: http://www.direito2.com.br/acam/2008/set/25/proposta-fixa-salario-minimo-dos-medicos-em-r-7-mil

nem comento o salario minino do farmacêutico,

Com dores, mulher vai à posto de saúde e morre após injeção

A catadora de materiais recicláveis Rosemeire Custódio de Oliveira, 33, morreu poucos minutos após ser medicada no Pronto-Atendimento do Santa Antonieta, na madrugada de ontem. A família acusa o médico plantonista Werner Garcia de Souza, que atendeu Rosemeire, de negligência médica e pretende acionar a Justiça contra o município.
De acordo com a mãe da vítima, Maria Helena Clemente, 66, mais conhecida como ‘Dona Nena’, a filha sentia fortes dores de estômago e falta de ar, mas conseguia caminhar sozinha.
“Estávamos preocupados e chamamos a ambulância. Ela foi levada ao Hospital das Clínicas e nos foi dito que o caso dela não era urgente. Logo depois, minha filha foi encaminhada ao PA do Santa Antonieta”, relata a mãe.

Ouça abaixo a dona Nena

Ainda segundo Maria Helena, o atendimento não demorou mais que 30 minutos. Rosemeire foi então medicada com dois comprimidos de catopril, remédio usado no tratamento à hipertensão. Meia hora depois, ela foi novamente medicada com uma injeção, entretanto a família não foi informada do que se tratava.
Cinco minutos após a aplicação, a catadora e a mãe se preparavam para retornar para casa quando Rosemeire caiu pálida e suando frio.
“Levaram ela para um quarto e escutava ela gritar que não queria morrer. Pouco depois, um paciente me informou que ela estava morta. Não foi o médico ou qualquer outro funcionário, foi um paciente”, diz a mãe, afirmando que o médico sumiu e até o final da tarde de ontem não havia recebido explicações da Secretaria da Saúde.
O atestado de óbito relata que Rosemeire faleceu de insuficiência cardíaca congestiva e cardiomegalia global. O caso será investigado pelo 1º DP, que deve receber o laudo da necrópsia entre 20 e 30 dias.

“Sofredora, mas feliz”, dizem amigos e família

Moradora em bairro humilde na zona oeste da cidade, sétima filha de um total de nove irmãos, catadora de recicláveis, divorciada e mãe de quatro filhos, Rosemeire Custódio de Oliveira, 33, não teve uma vida fácil, mas sempre se mostrou feliz para aqueles que conviveram com ela.
“Por ser a caçula das meninas, ela demorou a começar a trabalhar. Mas ajudava muito nas tarefas de casa. Sofreu com alcoolismo e teve que entregar a guarda dos filhos, mas sempre foi muito querida por todos. Adorava um bate-papo e já sinto saudades dela”, diz emocionada a dona de casa Cleusa de Oliveira, 42, uma das irmãs de Rosemeire.
Vizinha, a também dona de casa Ângela Bombonato, 32, diz que a catadora sempre foi muito divertida e confirma: ela adorava conversar.
“Ela sempre passava na frente de casa e me chamava. Sentávamos e ficávamos conversando por horas. Ela projetava uma vida melhor e queria ter a sua própria casa, mas o destino arrancou tudo dela”, diz Ângela. (W.A)

Família descrente na saúde municipal

“Perdi todo o carinho que tinha por essa cidade. Minha vontade é arrumar as minhas malas, dos meus filhos e netos e levar todos embora daqui. O modo como minha família foi tratada ontem não se trata um animal. Nada a trará de volta, mas não vou deixar barato. Quero Justiça a qualquer custo”.
Com essa frase, Maria Helena Clemente, 66, mãe de Rosemeire Custódio de Oliveira, 33, morta ontem no Pronto-Atendimento do Santa Antonieta, descreveu a dor de velar a filha.
Vinícius Cardoso, 46, cunhado da vítima, também tentou passar o duro golpe que a família sofreu. “Não é natural uma mãe enterrar o filho, ainda mais nessas circunstâncias. A família está abalada tanto pela perda quanto pelas causas suspeitas dela”.
Cristina de Oliveira, 37, irmã de Rosemeire, lamentou o óbito e se disse preocupada com a população mais carente da cidade.
“De alguns meses para cá, a saúde em Marília está mais precária. Sei que não é a primeira vítima de negligência do PA e acredito que não seja a última. Depois do que passamos, perdi a confiança na saúde municipal”, desabafou. (W.A)

Prefeitura diz que paciente passou mal

Procurada pela reportagem do Jornal Diário, a Prefeitura defendeu o procedimento médico no caso da morte de Rosemeire de Oliveira. Em nota, foi alegado que ela sofria de falta de ar e inchaço nas pernas quando deu entrada no Pronto-Atendimento do Santa Antonieta. Nota sugere ainda que a vítima sofria de “Síndrome de Dependência Química” e assim que deu entrada no PA foi verificado que ela estava com taquicardia e hipertensão e que ela havia relatado ao médico que sofria de cardiopatia.

“(...)Foram realizados eletrocardiograma da paciente, assim como o uso das medicações captopril, propanolol, e diclofenaco sódico (...)”, completa a nota, acrescentando que após o uso da medicação, a paciente foi reavaliada e liberada. (W.A)
Vítima deixa mãe, 4 filhos e 8 irmãos
Rosemeire Custódio de Oliveira, 33, está sendo velada na sala 6 do Velório Municipal e seu corpo será sepultado hoje, às 10h30, no Cemitério de Oriente.
Ela deixa as filhas Pâmela, 13, Karen, 7, Kelly, 4, e o menino Allan, 10. Karen e Kelly, frutos da última união civil de Rosemeire, já estavam sob custódia de uma das irmãs. A primogênita mora com o pai, na zona norte de Marília, assim como Allan, o caçula, com o pai em Oriente. Nenhum dos filhos compareceu ao velório até o início da noite de ontem.
Ela também deixa a mãe, Maria Helena Clemente e oito irmãos: Leonice, Vera, Cleusa, Maria Lúcia, Cristina, Valdir, Edson e Anderson. (W.A)

Médico pode ser punido pelo CRM

Acusado de negligência médica, o médico plantonista Werner Garcia de Souza, pode até ter o registro cassado caso seja comprovado o erro no caso da morte de Rosemeire.
Segundo informações da delegacia do Conselho Regional de Medicina de Marília, a denúncia contra o médico por parte da família precisa ser oficializada para que seja aberta uma sindicância interna que, se procedente, dará origem a um processo.
Caso seja comprovado o erro, o profissional pode ser punido desde à advertência até com a cassação do registro. O prazo máximo para finalização do processo é de oito anos. (W.A)

Fonte:http://www.diariodemarilia.com.br/Noticias/81883/Com-dores-mulher-vai-posto-de-sade-e-morre-aps-injeo

Medição da pressão arterial deve seguir orientações da Anvisa

Chega de dor

Levantamento da Sociedade Brasileira de Cefaleia mostra que mais de 15% da população sofre com algum tipo de dor de cabeça crônica

Saber que conviver com elas não é uma situação normal. É preciso procurar ajuda profissional porque, invariavelmente, as dores de cabeça têm cura. "As pessoas tendem a tratar qualquer tipo de dor com analgésicos, sem procurar o motivo que tem gerado de fato o problema. Em mui­tos casos, dores fortes e constantes es­condem problemas mais sérios como si­nusite ou mesmo algum tumor e até meningite", afirma a neurologista.
A médica explica que as normas inter­nacionais de cefaleia dividem as dores de cabeça em dois grupos majoritários: os casos primários e os secundários. As cefa­leias primárias, segundo Eliana, são aque­las chamadas tensionais, em que há mo­tivos definidos que originam a dor, como a má alimentação, o estresse, o cansaço ou a insônia. As tensionais também têm um outro subgrupo, que são as famosas enxa­quecas, caracterizadas por dores crônicas e mais pesadas, que dificultam, inclusive, a interação social dos pacientes.
Integrante do Centro de Dor e Neuroci­rurgia Funcional do Hospital Nove de Julho, em São Paulo, o médico Antonio Cézar Galvão esclarece que as enxaquecas podem durar até 72 horas ininterruptamente e os sintomas incluem ataques de dor com mé­dia ou forte intensidade, e, às vezes, podem ser acompanhados de náuseas, vômitos, intolerância aos sons e à luz. "O diagnós­tico do problema depende de cada caso e leva em conta o histórico familiar, as con­dições de vida do paciente e o tipo de ali­mentação que adota. A frequência com que a pessoa sente a dor também é levada em conta na hora de classificar o problema, contudo, o que o paciente precisa saber é que o médico deve ser procurado se as dores aparecerem mais que três vezes por mês", explica Galvão. As mulheres, segun­do o neurologista, são as que mais sofrem com o problema, principalmente no perí­odo pré-menstrual. O especialista conta que as dores estão relacionadas com a queda dos níveis hormonais durante os dias que precedem o período menstrual. Em muitos casos, a ingestão de alimentos gor­durosos, o uso de medicamentos vasodi­latadores, a exposição a ruídos fortes e constantes, além das grandes altitudes e mudanças bruscas de temperaturas podem desencadear o problema.
De acordo com a ABN, grande parte das dores de cabeça crônicas também estão relacionadas a causas psicológicas. "Em alguns casos, além de substituirmos os anal­gésicos por antidepressivos, pedimos a ajuda de profissionais de orientação psico­lógica e até mesmo de acupuntura, para os casos relacionados às tensões musculares", explica Antonio Cézar Galvão. O neurolo­gista afirma que o ponto fundamental do tratamento das cefaleias está na prevenção de novas crises. Por isso, os tratamentos são ministrados muitas vezes com medicamen­tos que agem nos neurotransmissores en­volvidos na dor e na dilatação dos vasos, como anti-hipertensivos, anticonvulsivantes e os já mencionados antidepressivos. "Além do acompanhamento farmacológico, é fundamental que as pessoas mudem seus hábitos. Ter horário para comer e dormir são pontos essenciais para aliviarmos as dores crônicas", ressalta o médico.
Outro grande aliado no combate às do­res de cabeça são as atividades físicas. Exer­cícios diários estimulam a produção de endorfinas, que são substâncias produzidas pelo nosso organismo e que atuam direta­mente na dor. "Na prática, essas substâncias são analgésicos naturais do nosso corpo e inibem a inflamação e a dilatação dos vasos do crânio, responsáveis pelas dores de ca­beça", comenta o médico. Pelo contrário, movimentos bruscos com a cabeça podem agravar ainda mais o problema.

Já as cefaleias secundárias ocorrem com menor frequência no Brasil. Apenas 6,5% dos pacientes diagnosticados com dores de cabeça apresentam problemas neurológicos graves, como acidentes vasculares, menin­gite ou tumores. Mesmo tendo uma baixa incidência, a procura de um especialista é importantíssima para evitar o agravamento do problema e possibilitar o diagnóstico fácil e o rápido tratamento. Segundo a neu­rologista Eliana Melhado, da ABN, dores muito fortes e súbitas na parte frontal ou lateral da cabeça são sinais claros da neces­sidade de acompanhamento especializado. "Geralmente é só nessa fase aguda e insu­portável que o paciente se preocupa e pen­sa que algo mais grave pode ocorrer. Via de regra, se as dores incomodam mais de três vezes por mês, são sinais de que algo não anda bem. Tratar com analgésicos desen­freadamente é retardar a solução de um problema", alerta a médica.
A neurologista Eliana Melhado lembra o papel fundamental que o farmacêutico tem na orientação desses pacientes a par­tir da implantação das novas regras. "An­tes de vender o medicamento, pergunte a quantidade de comprimidos que as pes­soas tomam semanalmente e por que tomam esses comprimidos. Se o cliente toma mais de dois ou três por semana, a fim de curar dores de cabeça, é preciso orientá-lo sobre riscos da falta de trata­mento", explica a médica. Ela argumenta que o farmacêutico tem papel fundamen­tal na difusão da saúde pública no País. "É o primeiro agente de saúde consultado em qualquer lugar do Brasil. Por isso, é importantíssima a difusão do conhecimen­to nas farmácias. Aqueles que consegui­rem transformar seus estabelecimentos em núcleos de saúde estarão um passo à frente no mercado", completa.

Fonte: Guia da farmacia

sábado, 24 de abril de 2010

"Eu Sou 12 por 8"

Campanha da SBC pretende alertar a população sobre os riscos da hipertensão

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) lança, no dia 26 de abril, a campanha "Eu sou 12 por 8". A ação tem como objetivo alertar a população brasileira dos perigos da pressão alta. A doença, que no início não apresenta sintomas, afeta 30 milhões de brasileiros, segundo dados do Ministério da Saúde. Destes, 12 milhões não sabem que têm a doença e correm um risco maior de ter outros distúrbios perigosos, entre eles infartos e derrames. A SBC estima que apenas 10% das pessoas com pressão alta faz regularmente acompanhamento médico e segue suas orientações. Para incentivar a população, personalidades aderiram à campanha, se tornaram embaixadores e já vestiram a camiseta "Eu sou 12 por 8", como a atriz Guilhermina Guinle, o cantor Ney Matogrosso e a apresentadora Sarah Oliveira.

Alguns fatores aumentam as chances de um indivíduo desenvolver hipertensão e parte deles pode ser evitada.Uma alimentação não balanceada, especialmente carregada de sal, pode levar ao quadro hipertensivo. O consumo de bebida alcoólica, o sedentarismo e a obesidade também estimulam a doença. O órgão ainda avisa que, depois dos 55 anos, 90% dos indivíduos correm o risco de desenvolver hipertensão, mesmo que tenham tido pressão normal até então. Alguns sintomas que podem ajudar no diagnóstico da doença são dores de cabeça, cansaço, tonturas e sangramentos do nariz. Porém, a única forma segura de identificar a hipertensão é checar regularmente a pressão arterial.

Fonte: Globo Online.

Farmácias trabalham para escapar de multas

As farmácias e drogarias de todo o País estão trabalhando para se adaptar às novas regras da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). Além da restrição dos medicamentos sem prescrição médica, que agora devem ficar atrás do balcão, os estabelecimentos estão proibidos de vender alimentos e outros produtos. A multa para quem não cumprir a determinação vai de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. As exigências da Anvisa entraram em vigor em fevereiro, mas as farmácias conseguiram liminares na Justiça para manter os produtos à mostra. Porém, no dia 13 de abril, o STJ cassou as decisões que permitiam o não cumprimento das novas regras. Estabelecimentos, agora, estão sujeitos à visitas de fiscais.

Fonte: eBand.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Pesquisador desenvolve pedaço de papel que faz exames multiplos

Com gota de urina, várias doenças podem ser testadas ao mesmo tempo.
Tecnologia, inventada por Brasil e EUA, será aplicada em países pobres.

Com gota de urina, várias doenças podem ser testadas ao mesmo tempo.
Tecnologia, inventada por Brasil e EUA, será aplicada em países pobres.
O papel pode fazer mais do que isso [o exame de gravidez]. Ele é extremamente mais barato. Queremos desenvolver um diagnóstico para usar em locais carentes", conta o pesquisador Emanuel Carrilho, do Instituto de Química da USP em São Carlos.

Materiais caseiros
A ideia é simples: com uma impressora que utiliza tinta de cera – o equipamento é parecido com impressoras caseiras – eles põem a imagem de pequenos canais em um papel especial.

A folha então é aquecida, derretendo a cera e formando caminhos que vão direcionar o líquido humano, sem deixar que ele escape. No final desses caminhos são colocados reagentes, que mudam de cor dependendo da substância a ser testada.

Reações químicas
A possibilidade de exames é teoricamente infinita, pois no papel podem ser usados fluidos corporais (sangue, urina, saliva, lágrimas, suor etc.) que contenham componentes químicos gerados por qualquer doença, desde que eles mudem de cor quando entrem em contato com reagentes.

"O número de doenças identificáveis está limitado ao conhecimento das reações químicas. Em princípio, todas as reações que ocorrem em laboratório podem ser transportadas para o papel", afirma Carrilho.

De acordo com ele, os reagentes que dão cor aos testes costumam ser caros, mas a quantidade necessária para cada exame é ínfima. "Usamos microlitros [um litro dividido por um milhão]". Sem o custo dos reagentes, cada exame custará menos que um centavo de dólar, de acordo com um orçamento feito nos EUA.

Telefone celular
Como as cores geradas no papel nem sempre são fáceis de identificar – um ponto vermelho pode indicar doença diferente de um laranja escuro – os cientistas imaginam que seja possível tirar uma foto do teste com celular e enviar ao laboratório em uma mensagem. "Assim você não precisa de um especialista em campo", afirma Carrilho.

A primeira grande experiência com o papelzinho que faz exames será feita ainda neste ano, na cidade de Santa Luzia do Itanhy, em Sergipe. Em parceria com o Programa Saúde da Família, os pesquisadores farão testes de anemia em 4.700 crianças e adolescentes. Se der certo, a experiência será levada para outras cidades em 2011.

Além de doenças, o teste pode ser usado para encontrar substâncias na água ou em outros líquidos. "Podemos detectar metais pesados, por exemplo. Estamos testando mercúrio e chumbo, mas poderiam ser pesticidas. Também é possível detectar cafeína em bebida, por exemplo", diz o químico da USP, que já está desenvolvendo uma forma de examinar se há glúten em bebidas.


Veja a matéria na integra em: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/04/pesquisador-desenvolve-pedaco-de-papel-que-faz-exames-multiplos.html

Pesquisadores desenvolvem chip de seda para colocar no cérebro

Material, que já foi testado em gatos, se ajusta melhor ao formato do cérebro e é mais aceito pelo organismo


Há alguns dias a Revista Galileu publicou uma entrevista em que o futurologista Michiu Kaku dizia que, no futuro, nós vamos controlar máquinas com a mente. Mas existe um pequeno obstáculo: manter um chip em nosso cérebro pode ser perigoso. Para evitar que o corpo reconheça o aparelho como intruso, pesquisadores da Universidade Pennsylvania Medical School, nos EUA, estão trabalhando em chips biocompatíveis. O grupo espera criar interfaces neurais que sejam mais eficientes do que as que existem hoje - e sem irritar ou gerar cicatrizes no tecido cerebral.

"Nós pretendemos fazer dispositivos ultrafinos que possam ser inseridos dentro do cérebro através de pequenos orifícios no crânio", diz à Technology Review Brian Litt, professor de neurologia e bioengenharia da universidade.

O grupo publicou em abril resultados de um estudo desenvolvido em cérebros de gatos. A membrana de seda foi o material ideal escolhido para o trabalho: é fina, por isso pode ser inserida facilmente por buracos muito pequenos, e é facilmente dissolvida em biomoléculas inofensivas ao longo do tempo.

Quando é colocada no tecido cerebral e molhada com solução salina, a membrana de seda "embala" a superfície do cérebro, trazendo os eletrodos mais perto das dobras do tecido cerebral. Chips normais não alcançam essas fendas, que cobrem a maior parte do cérebro, por isso são menos eficientes.

"Um dispositivo como este abriria novos caminhos em toda a neurociência e todas as aplicações clínicas", diz Gerwin Schalk, pesquisador no centro de Wadsworth, em Nova York. "O que eu prevejo é a colocação de um dispositivo de seda ao redor de todo o cérebro, que monitoraria a função cerebral continuamente por semanas, meses ou anos, com uma alta resolução espacial e temporal".

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI134562-17770,00-PESQUISADORES+DESENVOLVEM+CHIP+DE+SEDA+PARA+COLOCAR+NO+CEREBRO.html

Carne bem passada aumenta risco de câncer

Em excesso, substância tem papel cancerígeno, diz especialista
Uma pesquisa feita na Universidade do Texas, nos Estados Unidos, indicou que pessoas que comem carne bem passada ou ao ponto têm mais chances de desenvolver câncer de bexiga. O estudo analisou 1.700 pessoas durante 12 anos. De acordo com a oncologista Célia Tosello, do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer, isso acontece por causa de uma substância chamada amina aromática, que se transforma com o calor. Em excesso, o composto pode agir como um agente cancerígeno. A recomendação da especialista é que as pessoas comam com moderação a carne torrada.

Assista ao vídeo:



Fonte: R7.com

quinta-feira, 22 de abril de 2010

CONSUMO DE MUITO AÇÚCAR REDUZ COLESTEROL

Além de engordar, o consumo excessivo do açúcar aumenta níveis de triglicérides e diminui o colesterol "bom". O efeito é semelhante ao de uma dieta rica em gorduras, dizem os autores do estudo publicado no "Journal of the American Medical Association". Para os médicos, o consumo de alimentos industrializados e de refrigerantes vem aumentando a ingestão diária de açúcar.

Fonte: Folha de S.Paulo
Notícia publicada em: 22/04/2010

Homenagem aos profissionais do setor farmacêutico

No próximo dia 26, o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma) realizara, pelo segundo ano, a II Solenidade de Outorga do Colar Cândido Fontoura do Mérito Industrial Farmacêutico. O prêmio visa homenagear quarenta e cinco personalidades do setor farmacêutico e três figuras de destaque da área da saúde. A cerimônia, que é restrita a convidados, ocorrerá a partir das 19 horas no Hotel Grand Hyatt, em São Paulo. Cândido Fontoura Cândido Fontoura Silveira, nascido em Bragança Paulista em 1885, foi um farmacêutico e empresário brasileiro. Fontoura fundou o "Instituto Medicamento Fontoura" em 1915 e, posteriormente, as "Indústrias Farmacêuticas Fontoura-Wyeth". Seu nome é normalmente associado ao reconhecido medicamento Biotônico Fontoura, recomendado para abrir o apetite de crianças.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Vigilância Sanitária reduz tempo entre vacinação e doação de sangue


Com a aplicação da vacina, os hemocentros temiam a redução dos estoques de sangue. Mas, a Vigilância Sanitária reduziu o período de 30 dias para 48 horas para doadores que receberam a imunização, já que não há riscos dos receptores desenvolverem a doença porque o vírus da vacina é inativo. A medida garante que os bancos de sangue não fiquem desfalcados.

Fonte: R7.com

Bancos de sangue pedem doações mesmo nos feriados

Impacto nos estoques é sentido dois dias após a folga
Os bancos de sangue em São Paulo e no Rio de Janeiro estão abertos para doações nesta quarta-feira (21), feriado de Tiradentes. Durante esses dias de folga a quantidade de doadores diminui, provocando redução nos estoques de sangue cerca de um a dois dias depois.

De acordo com a médica Sandra Esposti, da Fundação Pró-Sangue de São Paulo, o bom fluxo de doadores nesta quarta-feira surpreendeu, pois se manteve estável em comparação aos últimos dias.

- Nos feriados a gente espera que as pessoas viajem e não venham. De qualquer forma, o estoque de sangue da fundação está baixo, porque nesta semana não houve muitos doadores.

No Rio de Janeiro, todas as cinco unidades do Inca (Instituto Nacional do Câncer) estão funcionando com a reserva de seus estoques de plaquetas, componente importante em casos de transplante de medula óssea ou quando o paciente sofre alguma intervenção cirúrgica.

De acordo com Flávia Azevedo, médica do Inca, diferentemente das plaquetas, o estoque de hemácias está razoável para esta quarta-feira.

- Mas em épocas de feriados sempre estamos precisando de doações [para abastecer os bancos].
Para doar plaquetas é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 18 e 65 anos, não fazer uso de ácido acetil salicílico (AAS, componente de diversos analgésicos, como a aspirina) e pesar mais de 50 quilos. Além disso, o voluntário precisa ter doado sangue no Inca nos últimos seis meses. O procedimento dura cerca de uma hora e meia.

Segundo a assistente social do Inca, Carla Savedra, responsável pela captação das doações, é muito importante a doação contínua das plaquetas, porque o tempo de uso é pequeno.

- As plaquetas só podem ser utilizadas até cinco dias após a doação. Por isso é importante as pessoas doarem sempre.

Fonte: R7.com

A importância da primeira refeição do dia

O café da manhã é a nossa melhor chance de começar bem o dia. Mesmo quando temos pouco tempo, dormimos pouco, durante a noite, moramos sozinhos... Sempre vale a pena cuidar dessa refeição.

Quando conseguimos vencer o sono e a preguiça e nos aventuramos no preparo de nossa primeira refeição, descobrimos que essa atitude é inteligente e capaz de mudar o nosso dia.

Comece por um laticínio, escolhendo entre um copo de leite desnatado, um iogurte magro ou queijo branco. Eles se equivalem em poder nutricional. Podemos até comer dois deles, mas será mais fácil acertarmos quando escolhemos um só.

Depois, escolha um carboidrato, que pode ser 2 fatias de pão integral, um pão francês ou cereal matinal. Termine com uma fruta. Não necessariamente nessa ordem.

As combinações são as mais gostosas possíveis, podemos tomar leite com café, com cereais ou com achocolatado. Podemos ainda fazer uma vitamina com a fruta escolhida. O iogurte pode ser consumido puro, com um cereal matinal ou batido com frutas.

O queijo pode ser frio ou quente, depende do seu ânimo de preparar alimentos mais elaborados. Uma torradeira facilita o preparo de pães e de deliciosas torradas.

Além disso, vale a pena investir em geléias, mel, embutidos, tendo em mente que são acompanhamentos e não o prato principal. Devem ser usados com moderação devido ao valor calórico que agregam à refeição.

Depois dessa delícia toda, o dia só pode ser muito bom!

Autor: Dra. Ellen Simone Paiva e Dra. Amanda Epifânio Pereira

Fonte: Portal Uol
Notícia publicada em: 20/04/2010

ENTENDA MELHOR A TIREÓIDE

Certamente você já escutou falar ou sofre de hipo ou hipertireoidismo. Uma das conseqüências desta doença está na variação de peso. Algumas pessoas, dependendo do nível do problema, chegam a ganhar 10% do seu peso. Para que você fique por dentro deste assunto, confira!

O que é - A tireóide é uma glândula que fabrica hormônios (T3, T4 e TSH). Eles são responsáveis por regular o processo de fornecimento de energia para as células do corpo e sem eles o organismo não sobrevive.

A questão do peso - A tireóide estimula o metabolismo e, conseqüentemente, o gasto energético. Assim, quando está funcionando menos, o gasto calórico é menor e vice-versa.

Os tipos - Existem dois tipos de disfunção:

Hipotireoidismo, quando a glândula funciona menos que o necessário. Neste caso, a alteração de humor, o aumento do cansaço, distúrbios de sono, queda de cabelo, esquecimento, intestino preso, inchaço e diminuição da libido são comuns. O ciclo menstrual também pode ser alterado e a doença pode acarretar outros problemas, como a anemia. O tratamento é feito através da reposição hormonal.

Hipertireoidismo, quando a glândula trabalha mais do que deveria. Os sintomas são inversos: Agitação, irritabilidade, aumento da freqüência de evacuação, taquicardia e tremor das mãos. A longo prazo, pode causar arritmias cardíacas, diminuição da massa magra (músculos) e da massa óssea. O tratamento vai depender da intensidade da doença, podendo ser através de medicamentos, iodo radioativo e até cirurgias.

Fonte: Portal Uol
Notícia publicada em: 20/04/2010

terça-feira, 20 de abril de 2010

Médicos recomendam muita água

Segundo especialistas, o desconforto respiratório nesta época do ano é quase inevitável. Para amenizar o sofrimento, médicos dão dicas simples como ingerir água em grande quantidade, manter a casa arejada, evitar fazer exercícios físicos entre as 11h e as 15h, e fugir de aglomerações.

"No clima seco, as partículas de poeira e poluição ficam menores, mais leves e mais tempo suspensas no ar. Com isso são mais facilmente inaladas", explica o coordenador do laboratório de Poluição da Faculdade de Medicina de São Paulo da USP, Paulo Saldiva.
Quando a umidade chega ao estado de atenção, espalhar vasilhas com água em casa é uma saída. "Quando ela evapora, diminui os efeitos de ressecamento das narinas e o desconforto", diz o pneumologista do Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas, Ubiratan de Paula Santos. Ele afirma ainda que o ar condicionado deve ficar desligado. "Ele retira a água do ar e isso faz com que nosso organismo gaste muito mais energia para umedecer o ar respirado."
A dona de casa Telma Cristina Cardoso dos Santos, de 29 anos, está acostumada a ouvir reclamações de irritação dos olhos e boca seca das filhas Jéssica, de 6 anos, e Vitória, de 3. "Faço inalação em casa e dou muita água para elas." O pneumologista afirma que a desidratação nesta época do ano pode passar despercebida. "Ao contrário do verão, que eliminamos água pelo suor, no outono, a água é eliminada na respiração e não percebemos." C.B. e L.A.

Dicas

Evite correr próximo a corredores de tráfego ou praticar exercícios entre 11h e 15h

Mantenha a casa bem arejada

Evite contato com crianças ou adultos doentes

Faça lavagem nasal com soro fisiológico

Quando a umidade do ar estiver abaixo dos 30%, espalhe vasilhas com água nos ambientes da casa. Elas tornam o ar mais fresco

Mantenha o ar condicionado desligado. Ele retiram a água do ar, deixando-o mais seco

Não coloque fogo em terrenos baldios e vegetação seca. O clima seco aumenta as chances de incêndio e pode propagar o fogo em direção a indústrias, casas e estabelecimentos comerciais

Inalações são recomendadas apenas em pronto-socorros, com acompanhamento médico

Mantenha-se hidratado. Tome bastante água

Consulte o pediatra se a criança não quiser comer, estiver prostrada, cansada e com febre que não abaixa

Evite locais aglomerados ou fechados com pouca circulação de ar

Fonte: Jornal da Tarde
Notícia publicada em: 20/04/2010

Anticorpos sintéticos

Tecnologia desenvolvida na UFMG poderá facilitar diagnósticos de doenças cardiovasculares e a criação de identificadores de males tipicamente tropicais, por meio de testes rápidos. Hoje, 99% dos anticorpos utilizados no Brasil são importados

A partir do próximo semestre, uma nova tecnologia para produção de anticorpos sintéticos, desenvolvida pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), vai poder aumentar a precisão quanto a diagnósticos precoces de doenças cardiovasculares e tipos raros de câncer. A plataforma também pode agilizar a identificação de doenças negligenciadas como dengue, malária, mal de Chagas, leishmaniose, febre amarela e lepra, a partir da produção de testes rápidos, como os que são usados hoje para identificar a gravidez.
Os novos anticorpos sintéticos foram batizados de anfitechs. São, na verdade, fragmentos de RNA e DNA (conhecidos como oligonucleotídeos) que funcionam da mesma maneira que os anticorpos nos exames, explica o professor Luiz Augusto Pinto, diretor da Bioaptus, empresa incubada na UFMG, responsável pela plataforma. Hoje, são importados 99% dos anticorpos usados no Brasil, em exames como os de sangue, de acordo com a Bioaptus. Além de produzir kits, a tecnologia permite atender demandas específicas de empresas nacionais de medicina laboratorial, diagnóstico in vitro e biociências.

A previsão é de que, em agosto, os primeiros kits diagnósticos para exames cardiovasculares, criados a partir da novidade, cheguem ao mercado. Com o novo método, eles podem custar até 10 vezes menos, em comparação com aqueles produzidos de maneira tradicional que utiliza células ou animais para chegar às proteínas que ajudam a identificar as doenças nos exames.
Em vez do procedimento usual, partimos de uma sopa com 1x1020 anticorpos sintéticos, que servem de matriz para a replicação em escala industrial daquele anticorpo específico de cada caso, explica o especialista. A maneira como os pesquisadores produziram a tal sopa é o segredo industrial da produção, já patenteado.

Nesse tubo de ensaio, é feito o procedimento de purificação da mólecula. É por isso que chamamos a tecnologia de plataforma, porque a mesma estratégia pode ser usada para a criação de diferentes tipos de anfitechs, diz o pesquisador. Diferentemente dos anticorpos naturais, os anfitechs não têm reação cruzada, sem diferença entre lotes, o que evita processos por diagnósticos equivocados. O professor aponta outras vantagens: Os anticorpos sintéticos são estáveis à temperatura ambiente o que minimiza custos de refrigeração e logística de transporte. Como não utilizamos células ou animais na produção, também reduzimos custos de manutenção.

Além do uso para diagnósticos, vacinas e soros também encontram aplicação nos anfitechs. O soro antiofídico, por exemplo, dispensaria a necessidade de aplicação exclusiva em hospitais. Hoje, essa é uma cautela necessária, já que os anticorpos produzidos por cavalos podem gerar reações adversas no organismo humano, facilmente tratáveis em ambiente hospitalar. Como o anfitech é direcionado, a partir da sintetização em laboratório, esse risco, de acordo com o professor, é zerado. A reação alérgica à vacina do H1N1, por exemplo, apresentada por aqueles com intolerância a ovo, seria inexistente se a vacina fosse produzida com um anticorpo sintético, emenda.

Fonte: Correio Braziliense
Notícia publicada em: 20/04/2010

Hypermarcas assina aquisição da farmacêutica Luper

Operação ultrapassa os R$ 52 milhões

A Hypermarcas assinou, no dia 16 de abril, a compra da Luper, farmacêutica de marcas como Gastrol, Virilon, Dramavit, Blumel e Senareti. O anúncio havia sido feito em março, quando as empresas assinaram memorando de entendimentos. Os termos da operação são os mesmos anteriormente divulgados, no valor de mais de R$ 52 milhões, e valem pela totalidade das cotas representativas do capital social da Luper, sendo 60% à vista e o restante em cinco parcelas anuais. A empresa informa que uma assembleia será convocada e que os acionistas dissidentes terão direito de reembolso pelo valor contábil das ações.

Fonte: Agência Estado

Data de vacinação de idosos muda

Datas mudaram nas regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste

O calendário de vacinação de idosos contra a gripe comum foi alterado nas regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. Aqueles com mais de 60 anos residentes nessas regiões deverão procurar postos no período entre 8 e 21 de maio. No calendário original, a vacina seria dada entre 24 de abril e 7 de maio - junto com a vacina contra gripe suína. A mudança foi provocada por um atraso na entrega do produto, fabricado pelo Instituto Butantã. Dos 18 milhões de doses acordados, o instituto conseguiu entregar até semana passada apenas 6,2 milhões.

O Ministério da Saúde não informou qual a razão do atraso na entrega. Idosos que vivem nas regiões Sul e Norte devem obedecer o calendário original. A partir de sábado, podem procurar postos de saúde para se vacinar tanto contra a gripe comum quanto contra a gripe suína. De acordo com o ministério, as vacinas distribuídas até o momento são suficientes para atender a procura nas duas regiões. No Norte, 100% das doses da vacina contra a gripe comum já foram entregues às Secretarias Estaduais de Saúde.

Fonte: BOL

domingo, 18 de abril de 2010

Convocação Assembleia Geral Extraordinária

A exemplo de outros anos, realizaremos diversas assembleias nas Diretorias Regionais do Sinfar e na sede do Sinfar na Capital, onde
a ordem do dia será a seguinte:
Discussão e aprovação da pauta de reivindicações econômicas e sociais com vistas à negociação da Convenção Coletiva de
Trabalho 2010/2011 do Sinfar-SP com o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado de São
Paulo, Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Santo André e Região, Sindicato do Comércio
Atacadista de Drogas e Medicamentos no Estado de São Paulo e Sindicato do Comércio Varejista de Produtos
Farmacêuticos de Ribeirão Preto.
Nesse sentido, o Sinfar-SP convoca todos os farmacêuticos a participarem das assembleias nas Diretorias Regionais e Seccionais do
CRF-SP, independente da área de atuação, pois o nosso grande desafio é termos o maior número de participantes possível. A
presença de todos(as) é fundamental para conferir representatividade ao processo, uma vez que só através da participação e da
mobilização é que o Sinfar logrará êxito nas negociações com os sindicatos patronais.
Esta assembleia visa envolver os farmacêuticos nesta discussão, para desta forma contemplar suas reivindicações, as quais devem
espelhar os anseios da categoria e isso só será verdadeiro através da manifestação de todos..
Se você acha que algo pode ser feito para melhorar sua atividade profissional venha trazer suas ideias, críticas e sugestões para o
Sindicato dos Farmacêuticos.
Compareça e traga outros farmacêuticos. As melhorias de condições de trabalho para o exercício da profissão também dependem de
você.
Verifique no abaixo a data, horário e local da Assembleia Regional de sua região.
CALENDÁRIO DAS ASSEMBLEIAS REGIONAIS – 2010

12.04.10 – 19:00hs – Presidente Prudente – Diretoria Regional Sinfar/Seccional CRF-SP – Rua Claudinor Sandoval, 407 – Jd. Paulista.

13.04.10 – 19:00hs – Ribeirão Preto – Diretoria Regional Sinfar/Seccional CRF-SP – Rua Dr. Soares Romeu, 404

14.04.10 – 18:30hs – Bauru – Diretoria Regional Sinfar Bauru/Seccional CRF-SP – Rua Araújo leite, 25-26 – Vila Sta. Tereza

14.04.10 – 19:30hs – Piracicaba – Diretoria Regional Sinfar/Seccional CRF-SP – Av. Ulhoa Cintra, 92 – Centro
14.04.10 – 19:30hs – Sorocaba – Diretoria Regional Sinfar/Seccional CRF-SP – Rua Conde D'EU, 142 – Vergueiro

22.04.10 – 19:00hs – Mogi das Cruzes – Seccional do CRF-SP – Rua Dr. Deodato Wertheimer, 1605 – conj. 92

26.04.10 – 19:00hs – São José do Rio Preto - Diretoria Regional Sinfar/CRF-SP – Rua Rubião Jr., 2634

27.04.10 – 19:00hs – Guarulhos – Seccional do CRF-SP – Rua XV de Novembro, 85 – sala 113 – Centro0

27.04.10 – 19:00hs – Santos – Diretoria Regional Sinfar/Seccional CRF-SP – Av. Cons. Nébias, 730 – conj. 73

28.04.10 – 19:00hs – Campinas – Diretoria Regional Sinfar/Seccional CRF-SP – Rua barão de Paranapanema, 146 – cj. 62 – bl. B – Jd. Proença.

29.04.10 – 19:00hs – São Paulo – Sede do Sinfar-SP – Rua Barão de Itapetininga, 255 – 3º andar – cojns. 304/305 - República

Fonte: http://www.sinfar.org.br * : info@sinfar.org.br

Amantes da profissão mais felizes

Se os viciados em trabalho, workaholics, são geralmente mais ansiosos e têm problemas emocionais, o mesmo não acontece com os chamados worklovers . "Enquanto o viciado no trabalho é alguém que não sente prazer com a concretização das suas funções, o worklover tira grandes níveis de satisfação das largas horas que passa a trabalhar", explica a psicóloga clínica Cláudia Morais.
Beatriz Pereira, de 49 anos, casada, com dois filhos e duas netas, garante que dar aulas às crianças do 1.º ciclo "é um dos maiores prazeres" que tem na vida. "Todos os dias me rio com eles e há sempre algum que me surpreende com a sua criatividade", assegura a professora primária.
A combater o cancro da mama desde há um ano, garante que a única vez que verteu uma lágrima em todo o processo foi quando teve de informar os alunos de que teria de abandonar a turma depois da operação. Mas não chegou a interromper por completo a actividade. "Passados três meses, fui à junta médica. Queriam que ficasse em casa até 2012. Disse logo que nem pensar. No dia seguinte, já estava na escola", conta. Não pode dar aulas, por recomendação médica, mas faz a coordenação da escola. "Tenho o meu horário de trabalho normal . Em casa sentia-me incompleta", assegura.
"Ao contrário dos workaholics, os worklovers não têm dificuldade em gerir as emoções e são menos impulsivos", garante o Pedro Hubert, especialista em adição. "O trabalho nestes casos é um prazer e não uma necessidade. Não penalizam outras partes da vida", acrescenta o psicólogo Nuno Cristiano Sousa.
Beatriz garante que, agora, tem mais cuidado com a alimentação, mas admite que, há um ano, , passava tantas horas na escola que se esquecia de comer. "Eram as auxiliares que me obrigavam a parar para almoçar ou me levavam alguma coisa à sala." Os médicos alertam que, embora os problemas psicológicos não estejam associados a estes casos, é necessário precaver os problemas físicos, como a má alimentação

Fonte: http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1547048&seccao=Sa%FAde

Hiperactividade pode ser sinónimo de depressão



As crianças deprimidas apresentam sintomas diferentes dos adultos: irritabilidade, falta de concentração e hiperactividade são comuns. A doença é por isso subdiagnosticada.
Uma criança demasiado irrequieta, com dificuldade em manter-se concentrada numa tarefa é facilmente apontada como hiperactiva. Mas a persistência destes sintomas podem também ser sinónimo de depressão. Uma doença ainda pouco diagnosticada em crianças portuguesas, mas que os médicos dizem estar a aumentar.
Os números internacionais apontam para que 2% das crianças até aos 12 anos e 8% dos adolescentes tenham episódios depressivos. Números que podem espelhar a realidade nacional. Mas a psicóloga Tatiana Pereira alerta para o facto de que possam haver mais crianças com esta doença, já que um estudo realizado em Espanha revela que 12% das crianças até aos 12 anos têm ou tiveram esta doença.
"A depressão na infância ainda não está categorizada e não é aceite por todos os clínicos", aponta Tatiana Pereira. Isto porque "esta patologia tem características muito diferentes nos adultos e nas crianças", acrescenta a psicóloga que trabalha numa escola.
Assim, entre os quatro e os 13 anos, "mais do que a tristeza, o que se nota é alguma irritabilidade, alterações no sono, no apetite e dificuldades de concentração", explica a pedopsiquiatra Margarida Crujo. A médica interna no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, sublinha, por isso, que no caso de sintomas como a irritabilidade representarem uma depressão, estes devem ser tratados nesse contexto e não isoladamente.
Também o excesso ou falta de energia, a perda ou aumento de peso e a agressividade são indicadores de depressão infantil, lembra Tatiana Pereira. Além das crianças e adolescentes, esta é uma perturbação que pode afectar também bebés a partir dos seis meses.
Nos bebés pode ser mais difícil identificar um comportamento depressivo. No entanto, o pediatra Gomes Pedro considera que basta o médico estar atento a sinais de alheamento, choro, recusa em comer e alterações no sono. "Se o bebé não estiver bem na sua pele, isso nota-se", defende o clínico.
Se os sintomas são diferentes, o tratamento também é diferente para esta população mais nova. Os antidepressivos são quase excluídos e a terapia e apoio psicológico assumem o papel principal para ultrapassar a depressão. "A cura desta doença passa por um bom mediador, que não se centre apenas na criança, mas também na família", justifica Tatiana Pereira.
A mesma opinião é defendida pela pedopsiquiatra Margarida Crujo. "Só em casos mais graves, em que há riscos grandes para a criança e família e que precisam de uma intervenção mais rápida, é que se usam medicamentos", acrescenta.
Mesmo assim, isso só se aplica a adolescentes. Por outro lado, não usar antidepressivos ajuda a "mostrar à criança que ela tem força para ultrapassar estas situações sem uso de medicamentos", refere Tatiana Pereira.
"O sentimento clínico que temos é que a depressão infantil está a aumentar", admite o pediatra Gomes Pedro. Um fenómeno que se deve "às situações de stress, de desemprego, trabalho precário, que os pais enfrentam e que as crianças absorvem", aponta o médico. No mesmo sentido, Tatiana Pereira admite que "o contexto leva a que haja mais depressão".
Mas os especialistas alertam ainda para o facto de uma depressão não ter apenas uma causa directa. Existindo, contudo, factores agudos que podem levar a estados depressivos (ver caixa em baixo).

Ainda que os factores exteriores e sociais desempenhem um papel importante no desenvolvimento de uma depressão, também a genética é importante. E é importante não só na predisposição para sofrer uma depressão mas também para determinar a sua cura.
Mas, mesmo depois de curada, esta patologia pode deixar marcas. "Depois de uma depressão, a criança pode nunca ter uma auto--estima adequada, um baixo rendimento na escola ou alterações na sua personalidade", esclarece Margarida Crujo.
A pedopsiquiatra frisa ainda que uma depressão em idades precoces pode determinar outras doenças na idade adulta, bem como outros episódios depressivos ao longo da vida

Fonte: http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1546990&seccao=Sa%FAde

Dose certa de cafeína com a 'Teste Saúde'


Os portugueses bebem 2,5 chávenas de café por d ia, o equivalente a 263 miligramas de cafeína. Siga algumas cautelas na ingestão desta substância.

Ainda na planta, os grãos de café estão envolvidos por um fruto que, ao amadurecer, se assemelha a uma pequena cereja. Conhecem-se muitas espécies, mas duas são mais utilizadas para produzir a bebida: arábica e robusta.
A primeira é plantada em quase todos os continentes. A segunda vem sobretudo de África. A principal diferença prende-se com o teor em cafeína, que se reflecte no sabor. A robusta, com cerca do dobro daquela substância, dá origem a uma bebida mais encorpada, forte e amarga.
O café à venda é, no geral, uma mistura destas duas variedades. A escolha depende do gosto. Se pretende sabor suave, prefira a arábica. Ao adicionar alguns grãos de robusta, obtém uma bebida mais amarga.
Um café equivale a cerca de quatro chávenas de chá, outras tantas de bebidas do tipo cola, 1,5 de bebidas energéticas e sete de refrigerantes à base de chá. Se pretende reduzir a dose diária de cafeína, faça-o de forma gradual. Uma interrupção brusca ou irregular pode causar mal--estar, como dores de cabeça e irritabilidade.
Um consumo moderado corresponde a 300 mg de cafeína por dia, ou seja, dois ou três cafés. Mas este limite pode ser exagerado no caso de indivíduos sensíveis ou grupos de risco, como grávidas. Se não conseguirem evitar o consumo, devem diminuí-lo. A alternativa é substituir por descafeinado ou café mais fraco.
Para preparar café em casa e poupar face ao que gasta na rua, tenha em conta a moagem e prensagem. Se comprar em grão, a moagem deve ser fina, mas não em demasia. No caso de ser grossa, o café fica fraco e aguado. Muito fina produz um sabor amargo. Quanto à prensagem, não deixe muito solto nem compacto. No primeiro caso, a água passa rapidamente através do café e, no segundo, não consegue infiltrar-se.
Se não está familiarizado com as máquinas expresso, faça várias tentativas até o produto final ficar ao seu gosto. Primeiro, sai o café e, depois, o creme. Assim que este começa a sair, desligue a máquina para a bebida não ficar aguada e amarga.
Com um tom de caramelo, cerca de meio centímetro de espessura e uniformidade, o creme é o principal indicador de um café bem tirado. Café demasiado prensado produz um creme muito fino. Já se for pouco calcado, ganha uma cor muito clara e a bebida, um sabor mais fraco.

Para conservar


Prazo Consuma no máximo numa semana. O ar e a humidade são os piores inimigos do café. Armazene num recipiente hermeticamente fechado.
Não armazenar junto de produtos com aromas fortes, como cebola ou ervas aromáticas, para não sofrer alterações.
O café torrado moído pode ser guardado no frigorífico ou congelador. Neste caso, não precisa de descongelar antes de usar

Fonte: Sapo.com.pt

sábado, 17 de abril de 2010

Chupetas podem prejudicar fala e dentes das crianças

É preciso saber a hora certa de fazer os garotos largarem o acessório
As chupetas são muito uteis para acalmar as crianças, mas o uso prolongado do produto pode prejudicar os dentes, a fala e a respiração das crianças.




Fonte: R7.COM

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Saúde - Nações Unidas estudam aumento de doenças não contagiosas nos países pobres - RTP Noticias

Saúde - Nações Unidas estudam aumento de doenças não contagiosas nos países pobres - RTP Noticias

Rinite e asma são os problemas mais comuns em crianças que procuram ambulatórios de alergia

Dois estudos apresentados esta semana no Congresso Brasileiro de Alergia e Imunologia em Pediatria indicam que a rinite e a asma são as condições mais frequentes em crianças atendidas em ambulatórios de alergologia - respondendo pela maioria dos casos -, e que ambas, muitas vezes, estão associadas nesses pacientes. Realizados em ambulatórios de alergia pediátrica de Petrópolis-RJ e de Juazeiro do Norte-CE, os estudos mostram, ainda, que houve maior ocorrência de casos de problemas respiratórios no sexo masculino, e que a chieira, alergias na pele e sinusite também são condições significativas entre esses pacientes.

No trabalho desenvolvido no ambulatório de alergologia do Hospital Municipal Infantil Maria Amélia Bezerra, na cidade do Nordeste brasileiro, a revisão de 150 prontuários - 90 de pacientes masculinos e 60 femininos - indicou que asma e rinite respondiam por 64% dos casos, com a chieira em bebês ocupando o terceiro lugar entre as condições mais comuns, seguida das manifestações alérgicas com sintomas na pele. No sexo feminino, as principais patologias encontradas foram asma e rinite, e a faixa etária mais prevalente foi entre seis e 10 anos, destacaram os autores.
Em relação ao sexo masculino, rinite foi o diagnóstico mais frequente (53 casos), seguido de asma (42 casos). Ambas as patologias foram mais frequentes entre três e cinco anos de idade?, acrescentaram.

Os resultados não foram muito diferentes na pesquisa desenvolvida no ambulatório de alergia pediátrica da Faculdade de Medicina de Petrópolis - que incluiu 114 prontuários de crianças atendidas no período de janeiro de 2008 até fevereiro de 2010. Segundo os pesquisadores, a doença prevalente foi a rinite - maior doença crônica respiratória -, seguida da asma intermitente. A patologia mais observada foi a rinite, sucedida pela asma. Dentre as rinites, rinite persistente (70%) foi a mais encontrada. Na população do ambulatório portadora de asma, encontramos a asma intermitente (72%) como a mais prevalente?, destacaram os autores.

Os especialistas dos dois estudos registraram, ainda, uma grande co-ocorrência das duas condições respiratórias. Segundo os pesquisadores da Faculdade de Medicina de Petrópolis, aproximadamente um terço das crianças com rinite apresentavam asma concomitantemente; e 80% das crianças portadoras de asma apresentavam rinite associada. E as demais patologias encontradas foram: chieira, dermatite atópica, urticária, conjuntivite, hipertrofia de adenoides e amídalas, e alergia alimentar.

Fonte: 11º Congresso Brasileiro de Alergia e Imunologia em Pediatria. 08 a 11 de abril. Temas livres 21 e 22.

Anabolizante pode ter causado morte de jovem

Um adolescente de 17 anos morreu ontem após passar mal no Senai, em Araraquara, onde estudava. A suspeita é que a morte pode ter sido provocada por uso de anabolizantes, já que na mochila do estudante foram encontrados medicamentos, seringas e uma receita médica. O caso será investigado pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).
De acordo com a delegada da DDM Meirilene de Castro Rodrigues, o adolescente morava em Américo Brasiliense. Ontem de manhã, ele participava de uma aula quando se sentiu mal e foi levado ao Hospital São Paulo. O jovem morreu por volta das 12h.
"Será feita perícia dos remédios que estavam na bolsa dele para saber se trata-se ou não de anabolizante. O médico que consta como o responsável pela receita não identificou o adolescente como paciente", diz Rodrigues.
Segundo a delegada, o médico estava de plantão no hospital quando o jovem chegou ao pronto-atendimento. Ele disse não conhecer o rapaz. A hipótese é que a prescrição médica possa ser falsa.
A morte foi registrada como suspeita. O corpo deve ser encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para ser necropsiado.

Fonte: Folha de S.Paulo
Notícia publicada em: 16/04/2010

Dificuldade em aceitar óculos de grau prejudica saúde ocular da mulher, aponta pesquisa

Mulheres usuárias de óculos de grau ainda têm dificuldades em encarar seus modelos como acessórios de moda e estilo. E afirmam que preferem, muitas vezes, não usar o modelo mesmo sabendo que podem prejudicar sua visão. O resultado está na pesquisa Ibope encomendada por um fabricante de lentes que acaba de ser divulgada em São Paulo.

"A dificuldade em combinar é grande para as mulheres. Mas quando percebem que podem ter modelos diferentes e específicos para seu rosto e para cada ocasião elas passam até a colecioná-los", afirma o esteta óptico Miguel Giannini, responsável pelas escolhas de personalidades como da ex-ministra Dilma Rousseff, da ex-prefeita Marta Suplicy e da apresentadora Ana Maria Braga.

A pesquisa ouviu 284 mulheres usuárias de óculos, em cinco regiões metropolitanas brasileiras, de 18 a 64 anos. Para 66% das entrevistadas, os óculos de grau não são um acessório de moda e estilo. Outras 32% afirmaram que já deixaram de usar seus óculos, mesmo sabendo que prejudicariam a sua visão. "Elas não estão informadas sobre como usar os óculos a seu favor", lembra Giannini. "Mas isso também está mudando", completa.

Para o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, essa dificuldade pode explicar também os motivos pelos quais muitas vezes as mulheres têm mais problemas de visão. "Sabemos dessa dificuldade entre as mulheres e como isso afeta sua saúde ocular, mas a boa notícia é que elas estão mudando essa percepção e já encaram as lentes com proteção UV, por exemplo, como uma forma de se proteger até mesmo das rugas ao redor dos olhos", explica o oftalmologista.

Para 83% das entrevistadas, as lentes com proteção UV protegem os olhos, mas também têm papel especial na prevenção ao envelhecimento precoce da pele ao redor dos olhos.

Fonte: Portal Uol
Notícia publicada em: 16/04/2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Pílula favorece vida sexual, aponta estudo

Segundo pesquisa divulgada ontem pela Federação Brasileira de Ginecologia e obstetrícia, uma em cada três brasileiras que usam a pílula anticoncepcional
acredita que o método afeta de maneira positiva sua vida sexual.
Foram entrevistadas 500 mulheres entre 15 e 45 anos das classes A e B. As pílulas
modernas têm efeitos na autoestima damulher, melhorando pele, cabelo e aparência em
geral. Isso é decisivo, diz o ginecologista Gerson Lopes.


Fonte: O Estado de S.Paulo
Notícia publicada em: 14/04/2010

PESQUISA MOSTRA EFEITOS DA CAMINHADA

Uma caminhada de 45 minutos três vezes por semana ajuda mulheres na menopausa a reduzir o peso, alivia dores e melhora a saúde física e mental. O dado é de uma pesquisa canadense que acompanhou 35 mulheres durante 16 semanas.

Fonte: Folha de S.Paulo
Notícia publicada em: 14/04/2010

Queda-de-braço sobre patente do Viagra volta ao STJ

SÃO PAULO - Interrompido em 25 de março deste ano por um pedido de vista do ministro Luis Felipe Salomão, o recurso referente ao prazo de validade da patente do medicamento Viagra, fabricado pelo laboratório Pfizer, deve voltar à pauta do Superior Tribunal de Justiça (STJ) hoje.

O recurso pede o fim da patente no próximo dia 20 de junho. O Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) entrou com recurso contra decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª região, em favor do laboratório Pfizer, que estende a validade da patente até junho de 2011. A decisão do STJ deve abrir precedente para 38 casos semelhantes que chegaram aos tribunais com o mesmo propósito: discutir o prazo de vigência das patentes piperline antes delas caírem em domínio público. "A decisão que for tomada nessa seção vai orientar o STJ daqui pra frente. Há outros 30 recursos especiais no STJ que estão tratando de patentes piperline e temos mais oito que estão no TRF-2", disse Mauro Maia, procurador-chefe do INPI.

Normas da Anvisa

O STJ suspendeu decisões da Justiça Federal do Distrito Federal e de São Paulo que autorizaram o descumprimento das normas editadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As normas restringem a comercialização de medicamentos pelas farmácias, limitando o acesso direto dos consumidores aos produtos, de modo a desestimular a automedicação. As decisões cassadas beneficiavam as farmácias filiadas à Associação Brasileira de Rede de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) e à Federação Brasileira das Redes Associativas de Farmácias (Febrafar).

Fonte: DCI
Notícia publicada em: 14/04/2010

Farmácias não podem vender vacinas do vírus A (H1N1)

Anvisa comunicou que farmácias e drogarias não podem vacinar

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) faz um alerta à população e avisa que drogarias e farmácias não estão autorizadas a vender vacinas contra a influenza A (H1N1). No dia 9 de abril, a Anvisa e agentes da Polícia Federal encontraram vacinas falsas em estabelecimentos em Minas Gerais. Quem está fora da lista do Ministério da Saúde pode tomar a vacina em hospitais e clínicas particulares, mediante pagamento. Até o momento, apenas o laboratório Abbott pode comercializar a vacina que imuniza contra a doença, por já ter conseguido o registro de preços. A empresa informou que a partir desta semana as clínicas devem começar a receber o produto. A Anvisa já autorizou dois outros laboratórios - Sanofi-Pasteur e GlaxoSmithKline - a produzir as vacinas contra a doença, porém eles ainda não solicitaram a definição de preços, documento exigido para iniciar o comércio. De acordo com a Anvisa, farmácias e drogarias só podem aplicar vacinas quando participarem de campanhas públicas de imunização, o que não ocorre na campanha contra a influenza A (H1N1). Nesses casos, os estabelecimentos não podem cobrar pelo produto nem pelo serviço.

Fonte: Agência Brasil

Sanofi pode pagar US$ 335 milhões por licença

Laboratório agora pode desenvolver, produzir e comercializar PancreateTM

A sanofi-aventis e a CureDM Group Holdings assinaram, no dia 13 de abril, um acordo de licença mundial sobre um novo peptídeo humano, PancreateTM, capaz de restaurar a capacidade de produção de insulina e de outros hormônios pancreáticos em pacientes com diabetes tipo 1 e 2. O início dos estudos de primeira fase está previsto ainda neste ano. De acordo com o documento, a sanofi-aventis poderá desenvolver, produzir e comercializar PancreateTM e compostos relacionados. Já a CureDM receberá um pagamento inicial como pagamentos por metas alcançadas pelo desenvolvimento, registro e comercialização do produto. O total de pagamentos pode chegar a US$ 335 milhões. Além disso, a CureDM terá direito ao recebimento de royalties escalonados sobre as vendas mundiais do produto.

Fonte: Saúde Business Web

terça-feira, 13 de abril de 2010

25 minutos de exercício ajudam a tratar depressão

Apenas 25 minutos diários de exercícios físicos são suficientes para ajudar no combate à depressão. A conclusão é de uma pesquisa médica que comprovou que atividades físicas, como a corrida, reduzem o stress e a raiva, aumentando a sensação de bem-estar.

Por isso, o professor Jasper Smits, psicólogo da Universidade Southern Methodist, de Dallas (EUA), defende que os exercícios devem ser prescritos como um complemento à medicação usada no tratamento de depressão e transtornos de ansiedade. "O exercício pode preencher uma lacuna para as pessoas que não podem receber as terapias tradicionais, seja pelo alto custo ou por falta de acesso, ou para quem não quer, por causa do estigma associado a esses tratamentos", disse ele.

Smits explica que a atividade física atua como um antidepressivo nos sistemas de neurotransmissores do cérebro, e ajuda pacientes com depressão restabelecer comportamentos positivos. "Depois de apenas 25 minutos, o humor melhora, o paciente fica menos estressado e tem mais energia. O mau humor não é mais um obstáculo ao exercício - é a razão para o exercício."

Os resultados da pesquisa foram apresentados na conferência anual do Transtorno de Ansiedade Association of America, em Baltimore (EUA).

Fonte: http://veja.abril.com.br

Hora de planejar o futuro

Conferência na FAPESP debate na segunda e na terça-feira (12 e 13/04) as propostas de São Paulo para ciência, tecnologia e inovação nos próximos vinte anos

A FAPESP sedia na segunda e na terça-feira da próxima semana (12 e 13/04) a Conferência Paulista de Ciência, Tecnologia e Inovação (C&T&I), que irá discutir propostas para aperfeiçoar as bases acadêmica, empresarial e privada do sistema científico e tecnológico estadual nos próximos 20 anos. O evento é uma reunião preparatória da 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que será realizada em Brasília entre os dias 26/05 e 28/05. “A Conferência Paulista será um momento para se discutir e aprofundar o entendimento sobre o sistema de ciência e tecnologia em São Paulo, que é o mais avançado do país, e sobre as relações entre o sistema paulista e o sistema nacional. A heterogeneidade do sistema nacional de ciência e tecnologia requer diferentes políticas públicas para diferentes regiões", disse o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, que apresentará a palestra “Plano para C&T&I em São Paulo – 15 anos” na abertura do evento. “Em São Paulo apenas 13% do dispêndio em pesquisa e desenvolvimento (P&D) vem do governo federal, enquanto que nos demais Estados brasileiros o dispêndio federal predomina. Como em São Paulo se produz 50% da ciência e 45% dos doutores, o limitado apoio federal à P&D em São Paulo acaba prejudicando o desenvolvimento científico do país", destacou.

Serão discutidos temas como a importância da ampliação do diálogo entre empresas e cientistas, a necessidade de aperfeiçoar o modelo de articulação entre as instituições envolvidas na produção científica e tecnológica e os gargalos no processo de inovação, entre outros.

A Conferência Paulista de C&T&I foi organizada em cinco painéis temáticos. Dois deles acontecem na tarde de segunda, dia 12: “Pesquisa e desenvolvimento no setor privado em São Paulo” e “Áreas e temas focais para pesquisa e desenvolvimento em São Paulo”. O evento continua na terça-feira, com os painéis, “Pesquisa acadêmica em São Paulo”, “Formação de recursos humanos para ciência, tecnologia e inovação em São Paulo” e “São Paulo e o Sistema Paulista de Ciência, Tecnologia e Inovação”. Os relatores dos painéis compilarão as conclusões do evento, que serão levados à reunião de Brasília.

Fonte: http://revistapesquisa.fapesp.br/?art=6371&bd=2&pg=1&lg=

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Farmacêuticas deverão ser alvo de nova onda de fusões e aquisições

Segundo Luís Motta, sócio da KPMG, os projetos deverão ser retomados

O movimento de fusões e aquisições no setor farmacêutico deverá continuar firme dentro e fora do país em 2010. No ano passado, foram realizadas 12 operações, contra sete em 2008, envolvendo laboratórios nacionais e estrangeiros. Neste primeiro trimestre, cinco negócios foram registrados, ante três no mesmo período do ano passado, de acordo com a consultoria KPMG, o que dá indicações de que o ano continuará bem aquecido para as indústrias desse setor.
Um trabalho realizado pela BSP (Business School São Paulo) mostra que esse movimento de consolidação no setor deverá se manter aquecido nos próximos meses. A BSP apresenta hoje o primeiro Painel da Indústria Farmacêutica (PIF) ao mercado, com o objetivo de se tornar uma ferramenta de interlocução sobre temas estratégicos desse setor. O estudo ouviu 27 empresas que representam 40% do mercado farmacêutico brasileiro.
"Esse movimento continuará crescendo à medida que o cenário econômico no país segue positivo e a população tem maior acesso a medicamentos", disse o professor da BSP, José Fernando Ramadinha, também diretor da Ramadinha Soluções Estratégicas ao Segmento Farmacêutico. O professor é um dos idealizadores desse trabalho.
As dificuldades no lançamento de novos medicamentos enfrentadas por laboratórios de todo o mundo estão entre os principais motivadores dessa onda de consolidação. Enquanto as fusões e aquisições devem acelerar seu ritmo neste ano, novos aportes de grupos estrangeiros também devem se intensificar no país, aponta 91% dos executivos que responderam ao relatório do PIF.
As indústrias consolidadoras estão mais interessadas em adquirir empresas com "pipeline" promissores e também querem aumentar seu portfólio. O ingresso a mercados estratégicos também impulsiona esse movimento. Para 60% dos executivos ouvidos pela BSB, a estratégia das companhias será adquirir empresas com portfólio promissor, enquanto que 40% esperam compartilhar esforços de pesquisa com instituições públicas.
Neste primeiro trimestre, a Hypermarcas foi a primeira empresa nacional a dar o tom nas operações de F&A, com a compra do laboratório de pequeno porte Luper. No fim do ano passado, a companhia adquiriu a Neo Química, de Goiás, que estava sendo disputada também pela americana Pfizer. A compra da Medley pela francesa Sanofi-Aventis em 2009 começou a inflacionar os ativos do setor farmacêutico.
"Os movimentos de F&A vão ficar mais aquecidos em todos os segmentos da economia. As empresas que adiaram seus projetos de expansão por conta da crise vão efetivar essas operações este ano", afirmou Luís Motta, sócio de Corporate Finance da KPMG no Brasil.
Segundo os executivos ouvidos para o relatório do PIF, os laboratórios também devem reforçar parcerias para desenvolvimento de produtos específicos, compartilhamento de ações de marketing e promoção, e a busca de recursos para pesquisa e desenvolvimento.
De acordo com o PIF, os laboratórios também estão dispostos a investir no país. A aquisição de novas companhias, rastreabilidade de produtos e comunicação em mídias digitais encabeçam a lista de aportes do segmento. A grande maioria dos executivos ouvidos, 81,82%, respondeu que vai elevar seus investimentos no Brasil este ano. Já 9,09% se limitarão a reinvestir seus lucros obtidos na operação brasileira e para outros 9,09% a tendência será remeter lucros para as matrizes, sem realizar novos investimentos no país.
Ainda de acordo com o relatório do PIF, as importações do setor deverão crescer este ano. Em 2009, as importações de medicamentos cresceram menos que as exportações. Embora ainda o Brasil seja deficitário na balança comercial do setor, houve redução significativa. Para 2010, o quadro deverá ser diferente, com aumento mais intenso das importações se comparadas com as exportações. Já as vendas agregadas devem continuar bem acima do PIB. Enquanto o país em geral cresceu 0,9% no ano passado, as vendas de medicamentos cresceram 8,2% e devem crescer 9,35% neste ano.

Fonte: Valor Econômico
Notícia publicada em: 07/04/2010

Medicamentos exigem cuidados no armazenamento

Cortar comprimidos, abrir cápsulas e não armazenar corretamente os medicamentos, além de descartá-los de maneira inadequada, podem trazer sérios danos à saúde e ao meio ambiente. , não se deve partir comprimidos ou abrir cápsulas, não só porque o usuário nunca poderá ter certeza na quantidade de medicamento que será ingerido, mas também porque existem muitos produtos de "liberação sustentada", ou seja, que liberam aos poucos as substâncias no organismo, às vezes até durante um dia inteiro. "Esses tipos de produtos jamais devem ser partidos, abertos e muito menos triturados ou mastigados, pois a absorção de maneira inadequada pode acabar prejudicando o tratamento do paciente. No caso de comprimidos sulcados, esta prática deve ser feita somente com o aval do médico". Um outro alerta é em relação ao reaproveitamento de medicamentos já abertos ou por outro membro da família ou em ocasião de recorrência da doença no mesmo paciente. "Os antibióticos, por exemplo, jamais devem ser reutilizados, mesmo que haja sobra nos vidros e frascos. Eles são eficazes sempre para um certo tipo de bactéria e é errado supor que o antibiótico de outra pessoa irá funcionar. Eles devem ser tomados até o fim, exceto quando o médico der instruções para parar". Já as embalagens, devem ser bem lavadas antes de ir para o lixo e, no caso dos vidros, devem ser reciclados. Também não se deve jogar seringas e agulhas no lixo. Eles devem ser entregues na farmácia mais próxima, que possui um lixo especial para resíduos, feito de papelão". A última orientação fica por conta do local adequado para armazenar medicamentos em cada. "Muita gente guarda remédios no banheiro. É o pior lugar da casa, pois os medicamentos devem ser guardados em local arejado, longe da umidade".

Este pó é para o resfriado. As gotas são para a dor de barriga provocada pelo pó e . ...

e a pomada é para a coceira provocada pelas gotas... Um jovem ficou com dor de garganta. Foi ao médico, que receitou penicilina para a inflamação. A dor de garganta desapareceu. Três dias depois, no entanto, ficou com coceira e vergões vermelhos em todo o corpo. Um médico diagnosticou corretamente uma alergia à penicilina e receitou anti-histamínicos. A alergia desapareceu. Os anti-histamínicos fizeram o jovem ficar sonolento e ele cortou a mão no trabalho. A enfermeira da empresa colocou pomada antibacteriana no ferimento. A pomada tinha penicilina e a alergia voltou. Achando que havia a possibilidade de uma grave reação anafilática, já que a alergia acontecia pela segunda vez, o médico receitou cortisona. A alergia desapareceu de novo. Infelizmente, o paciente ficou com dores abdominais e reparou que suas fezes continham sangue. O diagnóstico foi hemorragia por úlcera péptica, causada pela cortisona. Não foi possível controlar a hemorragia por métodos normais e o próximo passo foi uma gastrectomia parcial (retirada cirúrgica de parte do estômago). A operação foi um sucesso. As dores desapareceram e a hemorragia acabou. O paciente perdeu tanto sangue com as hemorragias e a cirurgia, que foi indicada uma transfusão. Tomou um litro de sangue e logo contraiu hepatite, em decorrência da transfusão. Jovem e cheio de energia, recuperou-se da hepatite. No entanto, no local da transfusão, apareceu um inchaço vermelho e doloroso, indicando uma provável infecção. Como já havia o problema anterior com a penicilina, o medicamento usado foi a tetraciclina. A infecção melhorou imediatamente. A flora intestinal foi afetada pela tetraciclina e apareceram espasmos abdominais dolorosos e uma diarréia muito forte. O paciente recebeu um antiespasmódico e, tanto a diarréia quanto os espasmos, desapareceram. Infelizmente, esse medicamento era da fórmula da beladona, um sedativo que contém atropina, que alivia espasmos e dilata a pupila. Esse efeito prejudicou a visão do rapaz, que bateu com o carro numa árvore e morreu instantaneamente. Esta é uma história verdadeira Fonte: Artigo do Dr. Leonard Tishkin, em The Myth of Modern Medicine ( O Mito da Medicina Moderna ).

Possíveis Interações Medicamentosas em residências de um bairro do município de Marília-SP.

Resumo A terapêutica atual pode envolver muitos medicamentos e é comum a prescrição de dois ou mais fármacos para um mesmo indivíduo. Durante ou após o tratamento estes medicamentos acabam se acumulando nas residências, aliado a esse fator está a facilidade na aquisição de novos medicamentos de venda livre, que acabam se tornando verdadeiros arsenais, podendo incorrer em interações medicamentosas se utilizados concomitantemente ou se associados ao álcool. Assim, nosso objetivo é demonstrar as possíveis interações medicamentosas em residências de um bairro do município de Marília. Para tal, foram aplicados questionários semi estruturados com informações relacionadas ao objetivo do estudo em 150 residências, no período de março a julho de 2006 . Como resultado, 98% das residências possuíam algum tipo de medicamento, que se utilizados simultaneamente poderiam resultar em 98 possíveis interações, mais de 50% destas IM ocorreram nos domicílios com mais de 6 fármacos. Das interações envolvendo medicamento x medicamento 65,71% foram frutos de prescrição médica, já as possíveis interações envolvendo álcool, 54,3% proveniente da automedicação. . Concluímos que a falta de informação da população pode provocar varias interações medicamentosas e considerando que muitos medicamentos são considerados um bem para muitos pacientes e que muitas vezes estes não se desfazem dos mesmos, a grande quantidade destes medicamentos nas residências, favorecem potencialmente as interações medicamentosas. CONCLUSÃO Os hábitos de vida da população, aliado à falta de informação sobre a farmacoterapia e sobre o medicamento em si, bem como o acúmulo destes nas residências, são apontados por este trabalho como variáveis significativas na ocorrência de possíveis IM, podendo resultar na alteração da ação terapêutica da terapia proposta, tornando-se um risco permanente para a saúde dos usuários. Orientar o usuário e desenvolver ações educativas sobre medicamentos, é um desafio para os novos profissionais de saúde. Fonte: Elias Fernando Daniel, submetida a publicação,Rev. Bras. Farm., 90(1), 2009 Confira o artigo na integra, disponivel em: http://www.abf.org.br/pdf/2009/RBF_R1_2009/pag_54a58_193_ocorrencia_interacoes.pdf

Histórias que inspiram Homens e mulheres que marcaram a sua geração e até hoje são inspiração

Martin Luther King nasceu em 15 de janeiro de 1929 em Atlanta na Georgia, filho primogênito de uma família de negros norte-americanos de classe média. Seu pai era pastor batista e sua mãe era professora.Com 19 anos de idade Luther King se tornou pastor batista e mais tarde se formou teólogo no Seminário de Crozer. Também fez pós-graduação na universidade de Boston, onde conheceu Coretta Scott, uma estudante de música com quem se casou. Em seus estudos se dedicou aos temas de filosofia de protesto não violento, inspirando-se nas idéias do indu Mohandas K. Gandhi. Em 1954 tornou-se pastor da igreja batista de Montgomery, Alabama. Em 1955, houve um boicote ao transporte da cidade como forma de protesto a um ato discriminatório a uma passageira negra, Luther King como presidente da Associação de Melhoramento de Montgomery, organizou o movimento, que durou um ano, King teve sua casa bombardeada. Foi assim que ele iniciou a luta pelos direitos civis nos Estados Unidos. Em 1957 Luther King ajuda a fundar a Conferência da Liderança Cristã no Sul (SCLC), uma organização de igrejas e sacerdotes negros. King tornou-se o líder da organização, que tinha como objetivo acabar com as leis de segregação por meio de manifestações e boicotes pacíficos. Vai a Índia em 1959 estudar mais sobre as formas de protesto pacífico de Gandhi. No início da década de 1960, King liderou uma série de protestos em diversas idades norte-americanas. Ele organizou manifestações para protestar contra a segregação racial em hotéis, restaurantes e outros lugares públicos. Durante uma manifestação, King foi preso tendo sido acusado de causar desordem pública. Em 1963 liderou um movimento massivo, "A Marcha para Washington", pelos direitos civis no Alabama, organizando campanhas por eleitores negros, foi um protesto que contou com a participação de mais de 200.000 pessoas que se manifestaram em prol dos direitos civis de todos os cidadãos dos Estados Unidos. A não-violência tornou-se sua maneira de demonstrar resistência. Foi novamente preso diversas vezes. Neste mesmo ano liderou a histórica passeata em Washington onde proferiu seu famoso discurso "I have a dream" ("Eu tenho um sonho"). Em 1964 foi premiado com o Nobel da Paz. Os movimentos continuaram, em 1965 ele liderou uma nova marcha. Uma das conseqüências dessa marcha foi a aprovação da Lei dos Direitos de Voto de 1965 que abolia o uso de exames que visavam impedir a população negra de votar. Em 1967 King uniu-se ao Movimento pela Paz no Vietnam, o que causou um impacto negativo entre os negros. Outros líderes negros não concordaram com esta mudança de prioridades dos direitos civis para o movimento pela paz. Em 4 de abril de 1968 King foi baleado e morto em Memphis, Tenessee, por um branco que foi preso e condenado a 99 anos de prisão.Em 1983, a terceira segunda-feira do mês de janeiro foi decretada feriado nacional em homenagem ao aniversário de Martin Luther King Jr.'s. Alguns de seus ensinamentos: "Eu tenho um sonho que um dia esta nação se erguerá e viverá o verdadeiro significado de seus princípios: 'Nós acreditamos que esta verdade seja evidente, que todos os homens são criados iguais. ’ ... Eu tenho um sonho que um dia minhas quatro crianças viverão em uma nação onde não serão julgadas pela cor de sua pele, mas sim pelo conteúdo de seu caráter." "Temos de enfrentar dificuldades, mas isso não me importa, pois eu estive no alto da montanha. Isso não importa. Eu gostaria de viver bastante, como todo o mundo, mas não estou preocupado com isso agora. Só quero cumprir a vontade de Deus, e ele me deixou subir a montanha. Eu olhei de cima e vi a terra prometida. Talvez eu não chegue lá, mas quero que saibam hoje que nós, como povo, teremos uma terra prometida. Por isso estou feliz esta noite. Nada me preocupa, não temo ninguém. Vi com meus olhos a glória da chegada do Senhor”. “Todos os homens são iguais” "O que me preocupa não é o grito dos violentos. É o silêncio dos bons." "Um dia meus filhos viverão numa nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo conteúdo do seu caráter”. "Por isso estou feliz esta noite. Nada me preocupa, não temo ninguém. Vi com meus olhos a glória da chegada do Senhor.”Foram as últimas palavras de Martin Luther King."Ele lutou com todas as forças para salvar a sociedade de si mesma". -D. Coretta, esposa de Martin Luther King jr

A união faz a força

Fico agradecido pela sua presença no meu blog. Espero que gostem dos informativos e textos. Semanalmente estarei apresentando temas diferentes a respeito da prática profissional farmacêutica. Se quiserem algum material ou outras informações, basta entrar em contato comigo pelo meu e-mail.

Em breve também abrirei espaço para discussão de casos sobre o mercado Farmacêutico e também questões de interesse publico

Grato pela atenção, e por favor, ajude-nos a divulgar este blog.

Elias Fernando Daniel

Farmacêutico CRF-SP

comentarios recentes

Quem sou eu

Minha foto
Farmacêutico Industrial, Atua na logistica de Medicamentos e como farmacêutico Voluntário no Abrigo a Idosos Reverendo Guilherme Rodrigues

Seguidores

Arquivo do blog